Atendimento Segunda a Sexta-feira das 8:15 às 11:45 e das 13:00 as 17:45 - Sábados das 8:30 às 11:45 (Horário de Brasília) Comprar Nos Ligamos para Você Atendimento online

Fim do emissor gratuito da NF-e em 01 de janeiro de 2017

Fim do emissor gratuito da NF-e em 01 de janeiro de 2017

 A SEFAZ - Secretaria da Fazenda, divulgou oficialmente que não irá mais disponibilizar o download dos aplicativos gratuitos, especialmente do Emissor gratuito de Nota Fiscal Eletrônica - NF-e.

A partir do dia 01/01/2017 será decretado o fim dos programas, que não terão mais nenhum tipo de atualização nem será possível fazer novos downloads e instalações.  Se por acaso você já tem ele instalado, seguirá funcionando no seu computador, porém não vai acompanhar as atualizações de legislação a que está sujeito e a qualquer momento pode passar a apresentar rejeições de notas fiscais por não cumprirem os requisitos obrigatórios.

Embora o uso do aplicativo seja feito por estabelecimentos encontrados em todo o país, o software foi criado e mantido pela SEFAZ de São Paulo, que decidiu por não continuar oferecendo o serviço, uma vez que em um levantamento recente, foi constatado que a quantidade de notas emitidas pelos aplicativos gratuitos não representava um percentual significativo - segundo informações da SEFAZ, este número oscilava na faixa dos 8% - ou seja, a cada 100 NF-e autorizadas, em média apenas 8 eram emitidas pelo aplicativo gratuito.

O emissor gratuito era oferecido desde 2006, ano em que se iniciou o processo de informatização das notas fiscais e sua transmissão online.  Porém, desde abril deste ano, quem busca o download para instalação do aplicativo nos sites oficiais, já pode ver a mensagem informativa do fim da disponibilização dos emissores gratuitos.

Quem ainda utiliza a ferramenta precisa ficar atento, pois no início do próximo ano, quem não tiver migrado para as outras soluções quando as novas regras de validação da NF-e e do CT-e estiverem em vigor vai enfrentar problemas com o software antigo. 

Poxa, agora vou ter que pagar por algo que antes era gratuito?

A notícia do fim do emissor gratuito pegou muita gente de surpresa, já que veio justamente em um momento de agravamento da crise econômica - momento no qual, todo e qualquer esforço em prol de cortar despesas deve ser executado pelo empreendedor. 

Infelizmente quem paga a conta é sempre o empresário, e nesse sentido mais uma vez o governo pensou apenas no lado dele: Ele vai fazer economia, já que tinha custos com a manutenção e desenvolvimento da solução gratuita que deixará de ter a partir de agora.

Se observarmos que os principais utilizadores do emissor gratuito são pequenas empresas, com um volume baixo de emissão de notas mensais - uma vez que se tivessem um volume expressivo de notas por mês, eles já teriam migrado a mais tempo para uma solução paga, os pequenos serão os mais prejudicados.

Por outro lado, independente do seu tipo de negócio, o fim da disponibilização do emissor gratuito, pode ser a oportunidade de você investir em um maior controle do seu empreendimento, incrementando a produtividade da sua empresa, introduzindo em seu cotidiano controles básicos de gestão que permitam proporcionar informações de pedidos, estoques, emissão de cobranças, rotinas financeiras, etc de forma integrada.

Pensando nesse público, que ficará desamparado a partir de janeiro próximo, e levando em conta o momento de crise econômica que o pais vem passando - onde sem dúvida cada centavo economizado tem importância no resultado no final do mês,  estamos lançando uma nova versão do nosso aplicativo GESTOR TOTAL, que vai ser uma excelente alternativa para aquelas empresas que ainda utilizam os emissores gratuitos: É o GESTOR TOTAL - MINI, que foi moldado para estas pequenas empresas, que tem como principal característica o baixo volume de notas emitidas mensalmente.

É uma versão mais enxuta do nosso sistema, pensada naqueles que tem um orçamento apertado, mas que precisam emitir notas eletrônicas.

Como escolher uma boa alternativa ao Emissor Gratuito?

Embora muitas pessoas tenham críticas ao modelo operacional das notas eletrônicas - e algumas críticas são realmente contundentes e bem fundamentadas - não podemos negar que a padronização da emissão das notas eletrônicas, em um formato compreendido amplamente pelas empresas, foi um marco importante nos negócios e modernizou a troca de documentos entre as empresas.

Hoje, qualquer aplicativo que se preze, permite a importação das notas do seu fornecedor, e isso garante uma grande agilidade nas rotinas administrativas diárias, já que o arquivo da NF-e possui as informações completas dos produtos (o que alimenta o processo de estoques), contém o cadastro do emitente da nota (o que possibilita o cadastramento automático do fornecedor em seu sistema de gestão), das faturas (o que gera a inclusão dos títulos a receber no módulo financeiro).  Parece pouco, mas são rotinas que ganharam agilidade e acima de tudo precisão, já que se eliminam erros de digitação e interpretação.

No momento de escolher a melhor alternativa ao Emissor Gratuito, você precisa levar em conta alguns detalhes importantes:

  • O novo software que você vai utilizar, não pode ser uma cópia do sistema gratuito: O gratuito não era produtivo, você precisava preencher muitos campos a cada nova emissão, o que tornava o processo lento e improdutivo.
  • Escolha um software que automatize a emissão da nota. No Gestor Total por exemplo, você digita o pedido do seu cliente, e no momento de gerar a nota bastam alguns poucos cliques (menos de 5) e você tem sua nota transmitida. Isso ocorre pois os sistemas em geral gravam as informações e permitem que você configure operações com a nota fiscal - coisa que no gratuito não existia.  O gratuito era a grosso modo uma máquina de escrever das antigas, mas que gerava o arquivo XML da NF-e.
  • Escolha um software que utilize as informações da nota para lhe devolver informações úteis e relevantes:  Veja só, no emissor gratuito, você era obrigado a digitar uma imensidão de dados para gerar uma simples nota fiscal, e em troca nada voltava ao gestor da empresa no formato de informação.  Por exemplo: o emissor gratuito não lhe dizia quantas unidades de um determinado produto você vendeu ou comprou em um período, muito menos o saldo daquele item em estoque, nem quanto cada cliente estava lhe devendo, nem o fluxo de caixa, muito embora de certa forma essas informações estivessem sendo repassadas para a SEFAZ, elas não voltavam para você em forma de dados gerenciais.
  • Seu novo software precisa ter suporte: No emissor gratuito, esse suporte não existia - na realidade até existia, mas em complexos manuais técnicos que não eram muito simples de entender para quem não fosse da área de tecnologia. Opte por um sistema que tenha uma empresa consolidada no mercado, e que possa lhe dar suporte quando você tiver algum tipo de dúvida ou problema a resolver

Como funciona o Gestor Total - Mini:

Ao criar esta versão mais enxuta, procuramos disponibilizar um produto que atenda ao atual usuário do sistema gratuito, tenha suporte sem limitação, e que ao mesmo tempo tenha um custo acessível. Para torná-lo economicamente viável, e sem perder a qualidade de nossos produtos, conseguimos formatar um sistema que vai atender a este público, e ao mesmo tempo vai representar um importante ganho de produtividade no dia a dia da pequena empresa.

Seu custo, comparado com a versão completa é de aproximadamente metade do valor, tanto para aquisição, quanto no desembolso mensal.  

 

 

« voltar